São Cristóvão padroeiro dos caminhoneiros

Quem é São Cristóvão e por que ele é o padroeiro dos caminhoneiros?

No dia 25 de julho é comemorado o Dia de São Cristóvão, santo padroeiro dos motoristas e dos viajantes. Essa data também passou a ser considerada como o Dia do Motorista, em homenagem aos estradeiros que saem de casa todos os dias sem saber ao certo em que momento eles vão retornar, carregando uma importante parte do País em suas rodas. A seguir, veja por que São Cristóvão se tornou o patrono dos caminhoneiros.

 

História de São Cristóvão

Pouco se sabe sobre a verdadeira origem de São Cristóvão. Há quem diga que ele se chamava Ofero Relicto e que era o filho primogênito do rei de Canaã. Mas, segundo a lenda grega, seu nome era Réprobo. Essa lenda diz que ele fazia parte da tribo dos bárbaros antropófagos, também conhecidos como cinocéfalos – homens com cabeça de cão –, e que teria sido convertido e se engajado nos exércitos imperais.

De acordo com relatos da Idade Média, Réprobo (que em latim significa “malvado”) media mais de 7 metros de altura, sendo um verdadeiro gigante. Seu sonho era servir ao mestre mais poderoso do mundo e, para encontrá-lo, ele teria percorrido o Oriente Médio inteiro à procura de reis e governantes que fizessem dele seu escravo e guerreiro.

Dizem que ele era indomável e que sua presença já era o suficiente para garantir a vitória de qualquer exército do qual fizesse parte. Porém, cansado de servir a caprichos de reis, Réprobo decidiu se colocar a serviço de Satanás, pois o considerava o mestre mais poderoso de todos, afinal não havia quem não se curvasse de medo ao ouvir este nome.

Um dia, ao perceber que seu novo mestre – Satanás – sempre fugia ao se deparar com uma cruz, para assim evitar um encontro com o símbolo de Jesus, o guerreiro decidiu abandonar o anjo do mal e servir ao Senhor. Orientado a praticar a caridade, ele se posicionou às margens de um rio onde, por falta de pontes, várias pessoas se afogavam e, assim, passou a ajudar os viajantes, carregando-os sobre seus próprios ombros.

Certo dia, um menino pediu para ser levado para a outra margem. Mas, conforme Réprobo seguia sua travessia, a criança foi ficando cada vez mais pesada e, somente após muito sofrimento é que conseguiram alcançar o outro lado em segurança. Ao chegarem, o gigante falou que sentia como se houvesse transportado todo o peso do mundo. O menino, então, revelou: “Não se espante, você não somente teve o mundo sobre si como carregou em seus ombros aquele que criou o mundo. Eu sou Cristo, seu rei, cuja obra você tem servido”.

A partir de então, Réprobo mudou seu nome para Cristóvão, que significa “aquele que carrega Cristo”, e assumiu a missão de peregrinar pregando a palavra de Jesus, por quem daria a vida.

Por ser o transportador dos viajantes e o condutor de Cristo, São Cristóvão passou a ser considerado pelos motoristas como seu santo protetor.

Existem algumas variações de orações a São Cristóvão e para os motoristas.

Veja aqui alguns exemplos destas orações:

 

Oração a São Cristóvão

Dai-me, Senhor, firmeza e
vigilância no volante
para que eu chegue ao
meu destino sem acidentes.

Protegei os que viajam, a todos,
e a dirigir com prudência, e que
eu descubra vossa presença
na natureza, nas rodovias,
nas ruas, nas criaturas,
e em tudo aquilo que me rodeia.

São Cristóvão, protegei-me
e ajudai-me nas minhas idas
e vindas a saber viver com
alegria, agora e sempre.

Amém!

Fonte: Paróquia São Cristóvão (Porto Alegre – RS)

 

Oração do motorista a São Cristóvão

São Cristóvão, que levastes um dia o fardo preciosíssimo, o Menino Jesus e, por isso, és invocado como Patrono Celestial. Abençoa a mim e a meu carro!

Dirige minhas mãos, meus pés, meus olhos. Guarda os freios, protege-me nas curvas fechadas e no asfalto molhado. Guarda-me das colisões e de pneus estourados. Livra-me das derrapagens. Segura animais soltos, pedestres distraídos e imprudentes.

Dá-me cortesia para os outros motoristas e, sobretudo, para com os guardas de trânsito.

Que eu seja cauteloso nas ruas movimentadas, atento nos cruzamentos e nunca alcoolizado, para que eu um dia possa ir segura (o) e diretamente, não antes do prazo, para a garagem do céu.

Amém.

Fonte: Paróquia São Cristóvão (Betim – MG):


MMCafé