Contratante - Legislação Pag de frete

Lei do Pagamento de Frete

Lei que dispõe sobre o transporte rodoviário de cargas por conta de terceiros e mediante pagamento de frete.

A Lei 12.249/10 acrescentou o artigo 5º-A e seis parágrafos à Lei 11.442/07, que disciplina o transporte rodoviário de cargas. A Resolução ANTT nº 3.658, de abril de 2011, veio regulamentar os comandos legais dispostos no art. 5º-A. Por meio da resolução, a agência criou a figura da Administradora de Meio de Pagamento Eletrônico de Frete, buscando a transparência na relação das empresas contratantes de fretes de terceiros, sejam elas transportadoras ou embarcadores, com os caminhoneiros autônomos.

Ao promover um ambiente regulado e delegar à Administradora as funções de controle definidas na resolução, a ANTT pretendeu garantir, de forma eficaz, a proteção à parte hipossuficiente na relação, que é o caminhoneiro. Outra consequência de se ter um ambiente regulado é o fato da ANTT estar recebendo dados e informações estatísticos que possam servir de base para políticas públicas de desenvolvimento humano, social, econômico e técnico do setor de transporte.

De acordo com a regulamentação passou a existir um contrato de trabalho entre a empresa e o caminhoneiro para cada viagem contratada e cada uma delas será identificada com um código que vincula o RNTRC (Registro Nacional dos Transportadores Rodoviários de Cargas) da empresa contratante ao RNTRC do caminhoneiro contratado. Caberá à Administradora de Meio de Pagamento Eletrônico de Frete processar essas operações on-line. Além de receber as informações do transporte incluindo os dados do contratante, contratado, da mercadoria e do frete, a Administradora é responsável por fornecer em tempo real o CIOT (Código Identificador da Operação de Transporte); zelar pelo cumprimento do contrato de frete e fomentar a aceitação dos meios de pagamento de fretes em estabelecimentos comerciais. Cabe ainda à Administradora suspender o uso do meio de pagamento sempre que identificar indícios de uso irregular ou fraude e denunciar as ocorrências à ANTT.

Conforme indicado na resolução, o pagamento desse serviço deverá ser efetuado por meio de depósito direto em conta corrente ou com a contratação de Administradoras de Meio de Pagamento Eletrônico habilitadas pela ANTT.

Separamos algumas especificações da lei e seus trâmites para Contratantes e Administradoras. Clique abaixo e saiba mais:

Os transportadores rodoviários de cargas devem estar atentos à necessidade de regularização do RNTRC, pois mesmo aqueles já registrados precisam se recadastrar. Serão autuados casos de ausência do certificado de registro e irregularidades como documentação falsa, adulterada ou cancelada.

Para cada operação de transporte que houver a contratação de um transportador autônomo de carga, é necessário que haja o cadastramento da operação de transporte através de uma Administradora de Meios de Pagamento habilitada pela ANTT.

1. Para a geração do CIOT, a Transportadora contratante informa:

  • código RNTRC (motorista);
  • origem / destino;
  • valores (frete, abastecimento e pedágio);
  • impostos (crédito e/ou débito);
  • data de início e fim;
  • identificação da administradora;
  • forma de pagamento, à vista ou parcelado;
  • condições do contrato (penas, multas, etc.);
  • natureza e quantidade da carga;
  • nome e o número da instituição bancária;
  • número da agência;
  • número da conta de depósito onde foi ou será creditado o pagamento do frete.

2. O Transportador deve emitir um Contrato de Transporte contendo as disposições firmadas entre o contratante e contratado para estabelecer as condições de prestação do serviço de transporte rodoviário de carga.

3. Deve Inserir o CIOT no documento de transporte da carga.

4. Realizar os pagamentos por um meio homologado pela ANTT.

5. Informar ao proprietário ou consignatário da mercadoria transportada o meio de pagamento utilizado para o cumprimento da lei e o código CIOT.

6. Disponibilizar ao contratado relatórios mensais consolidados com todas as informações das operações de transporte.

Para saber mais sobre a lei e a regulamentação acesse o link.

 

A transportadora tem a opção de contratar o serviço da Administradora para fazer toda a gestão do processo de pagamento do frete. Desta maneira, o transportador tem o benefício de gerar o CIOT, emitir o Contrato de frete e realizar os pagamentos através de um único processo integrado, eficiente e seguro.

 

Além disso, quando contratada a Administradora assume a responsabilidade de:

.validar antecipadamente algumas informações no Contrato de frete para garantir ao transportador o cumprimento da lei;
.fornecer as informações do Contrato de frete ao proprietário ou consignatário da carga;
.disponibilizar os relatórios mensais e anuais dos autônomos contratados.

Principais Funções: Receber e registrar as informações do transporte a ser realizado, incluindo os dados do TAC (Transportador Autônomo de Cargas) contratado, do contratante, da mercadoria e o valor do frete;

. Validar o RNTRC (Registro Nacional dos Transportadores Rodoviários de Cargas) do contratado junto à ANTT;

. Fornecer o Código Identificador da Operação de Transporte (CIOT) referente àquela viagem ao contratante;

. Oferecer uma solução legal para o pagamento de frete com mais de uma opção de instituição bancária;

. Fomentar a aceitação dos meios de pagamento de frete em estabelecimentos comerciais;

. Disponibilizar aos contratados um comprovante de renda anual;

Os transportadores rodoviários de cargas devem estar atentos à necessidade de regularização do RNTRC, pois mesmo aqueles já registrados precisam se recadastrar. Serão autuados casos de ausência do certificado de registro e irregularidades como documentação falsa, adulterada ou cancelada.

Para cada operação de transporte que houver a contratação de um transportador autônomo de carga, é necessário que haja o cadastramento da operação de transporte através de uma Administradora de Meios de Pagamento habilitada pela ANTT.

1. Para a geração do CIOT, a Transportadora contratante informa:

código RNTRC (motorista);
origem / destino;

valores (frete, abastecimento e pedágio);
impostos (crédito e/ou débito);
data de início e fim;
identificação da administradora;
forma de pagamento, à vista ou parcelado;
condições do contrato (penas, multas, etc.);
natureza e quantidade da carga;
nome e o número da instituição bancária;
número da agência;
número da conta de depósito onde foi ou será creditado o pagamento do frete.

2. O Transportador deve emitir um Contrato de Transporte contendo as disposições firmadas entre o contratante e contratado para estabelecer as condições de prestação do serviço de transporte rodoviário de carga.

3. Deve Inserir o CIOT no documento de transporte da carga.

4. Realizar os pagamentos por um meio homologado pela ANTT.

5. Informar ao proprietário ou consignatário da mercadoria transportada o meio de pagamento utilizado para o cumprimento da lei e o código CIOT.

6. Disponibilizar ao contratado relatórios mensais consolidados com todas as informações das operações de transporte.

Para saber mais sobre a lei e a regulamentação acesse o link.

 

A transportadora tem a opção de contratar o serviço da Administradora para fazer toda a gestão do processo de pagamento do frete. Desta maneira, o transportador tem o benefício de gerar o CIOT, emitir o Contrato de frete e realizar os pagamentos através de um único processo integrado, eficiente e seguro.

 

Além disso, quando contratada a Administradora assume a responsabilidade de:

.validar antecipadamente algumas informações no Contrato de frete para garantir ao transportador o cumprimento da lei;
.fornecer as informações do Contrato de frete ao proprietário ou consignatário da carga;
.disponibilizar os relatórios mensais e anuais dos autônomos contratados.

 

Principais Funções: Receber e registrar as informações do transporte a ser realizado, incluindo os dados do TAC (Transportador Autônomo de Cargas) contratado, do contratante, da mercadoria e o valor do frete;

. Validar o RNTRC (Registro Nacional dos Transportadores Rodoviários de Cargas) do contratado junto à ANTT;

. Fornecer o Código Identificador da Operação de Transporte (CIOT) referente àquela viagem ao contratante;

. Oferecer uma solução legal para o pagamento de frete com mais de uma opção de instituição bancária;

. Fomentar a aceitação dos meios de pagamento de frete em estabelecimentos comerciais;

. Disponibilizar aos contratados um comprovante de renda anual;

 

MMCafé