Manutenção de Frotas

Como reduzir custos através da manutenção de frotas

Um dos fatores mais importantes na gestão de frotas é a manutenção. É ela que vai garantir o perfeito funcionamento dos veículos e ainda permitir com que o gestor tenha maior controle das despesas e execute planejamentos com mais eficiência. Dessa forma, a empresa ganhará em melhoria do controle do estoque de peças, aumento da disponibilidade e performance dos veículos e, principalmente, em redução dos custos operacionais.

 

É importante lembrar que veículos parados ou que exijam interrupções para consertos geram transtornos e prejuízos para a empresa que vão desde a perda de mercadorias perecíveis e o descumprimento do prazo de entrega até os danos à credibilidade do negócio e a insatisfação do cliente.

 

Ainda assim, algumas empresas ainda não dão a devida atenção à manutenção de frotas. Neste artigo iremos mostrar a importância de se investir neste setor para garantir uma gestão eficiente e diminuir eventuais prejuízos.

 

Os 3 tipos de manutenção de frota

Manutenção preventiva

Prevenir custa bem menos que corrigir. Por isso, a manutenção preventiva é a medida mais importante a ser tomada pela gestão. Através dela, é possível diagnosticar com precisão as condições do veículo e determinar providências antes da ocorrência de falhas.

Dessa forma, é importante que a empresa mantenha um cronograma fixo de checagem preventiva de toda a frota, seguindo à risca a verificação de cada um dos itens correspondentes ao seu tipo de frota.

Dentre os itens mais importantes a serem verificados estão:

  • Pneus: devem ser checados antes e após cada viagem;
  • Suspensão: deve-se avaliar as condições dos amortecedores, molas e bolsões de ar;
  • Freios: é importante se certificar de estarem funcionando perfeitamente;
  • Óleo e fluídos: é importante conferir os níveis de óleo do motor, a quilometragem e a eventual necessidade de troca de alguma peça. Também deve-se checar a água do sistema de arrefecimento e os fluídos dos sistemas hidráulicos.
  • Motor: deve-se conferir os níveis e a pressão do óleo, a temperatura e o desempenho do motor;
  • Escapamento: é importante garantir que os níveis de emissão de gases estejam adequados. Para isso, é recomendada a utilização de um opacímetro;
  • Sistema elétrico: deve-se conferir o sistema elétrico do veículo, como as injeções eletrônicas;
  • Baterias: é necessário redobrar a atenção com estas ferramentas. Deve-se observar se a bateria está bem posicionada, checar o nível da solução de água destilada e conferir se os polos estão livres de sujeira.

 

Manutenção corretiva

Este tipo de manutenção costuma acontecer com frequência, principalmente quando não há um controle eficaz sobre a manutenção preventiva. Como o próprio nome sugere, a manutenção corretiva é o conserto ou substituição de componentes desgastados ou quebrados.

 

Comparada à manutenção preventiva, seus custos são muito mais elevados, já que além de envolver a reposição não planejadas das peças e mão de obra necessária para tal, também significa que o veículo estará parado durante o conserto, o que pode prejudicar o desempenho logístico do negócio.

 

Ainda que, em algumas situações, a manutenção corretiva seja inevitável, o ideal é que ela aconteça apenas em casos isolados, como falhas repentinas e acidentes.

 

Manutenção preditiva

Um tipo de manutenção que se assemelha à preventiva, o foco da manutenção preditiva é monitorar as condições mecânicas e o desempenho de cada veículo da frota de maneira constante, buscando antecipar possíveis problemas.

 

Sua vantagem é que ela reduz grande parte da necessidade de manutenções corretivas. Porém, para que isso seja possível, é necessário que a empresa invista em equipamentos de tecnologia avançada, como:

 

  • Ultrassom;
  • Câmeras termográficas;
  • Rastreadores;
  • Testes de vibração;
  • Inspeção visual.

 

Redução de custos

Manter um plano de manutenção bem estruturado é fazer com que os veículos operem de maneira eficiente, garantindo com que os custos de manutenção não sejam maiores que os custos operacionais.

 

Ainda que seja impossível reduzir a zero os custos com a manutenção corretiva – a mais onerosa para as empresas –, uma vez que caminhões que transitam por longos trechos estão mais expostos a desgastes e acidentes, é possível diminuir sua necessidade. Para isso, o gestor deve investir em um planejamento que priorize a manutenção preventiva e pensar em estratégias para viabilizar a implementação de manutenções preditivas.

 

Além disso, também é fundamental que o gestor de frota esteja atento ao emprego de mão de obra qualificada, dando preferência a oficinas reconhecidas que utilizem peças de boa qualidade, uma vez que o barato pode trazer mais gastos para a empresa.

 

Como controlar os custos de manutenção

O Pamcard Frota é uma solução do sistema Pamcard que permite realizar operações de pagamento para despesas de viagem do caminhoneiro.

A empresa contratante tem total controle das operações e pode categorizar cada tipo de despesa para uma tomada de decisão para eficiência de custos.

Tudo isso em tempo real e formalizado, para evitar processos trabalhistas indevidos.

 

Saiba mais sobre o Pamcard Frota aqui.

 

Fonte consultada: Patrus

 

 


É uma empresa homologada pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres)

como Administradora de Meios de Pagamento para Frete e Vale-Pedágio. Através do Sistema Pamcard, oferece a mais completa solução de pagamento eletrônico incluindo o Vale-Abastecimento e as despesas de viagem.

A Roadcard Soluções Integradas em Meios de Pagamento S/A foi criada em 2011.

Contato

  • Avenida Chedid Jafet 222 - Edifício Millenium - Bloco B, Conj.11 - 1º Andar – SP Caixa Postal 12.345 - São Paulo/SP - CEP 04551-065 - Vila Olímpia
  • sac.pamcard@roadcard.com.br
  • 0800 726 2279

MMCafé